sábado, 13 de setembro de 2014

Umbanda...aonde tudo começou...



A Umbanda não  é uma religião de origem puramente africana. Na verdade, o conhecimento desse culto milenar foi levado à África por povos atlantes, durante as grandes migrações que tomaram lugar depois da terceira sub-raça originada na Atlantida.
Uma das raças que habitava o antigo continente era a negra (etíope) que, assim como outras que migraram para diversas partes do globo, desde o antigo Egito até as Américas, levou consigo o entendimento da magia e da luz divina para a África. Mesclando-se com as tradições religiosas dos povos locais e com seus feiticeiros, deu origem aos cultos africanos como conhecemos hoje.
Por todo o planeta a saga dos atlantes em busca de novos lares  espalhou o conhecimento trazido pelos homens das estrelas; aqueles, que há milhões de anos, por amor ao homem da Terra, aportaram um dia com suas vimanas na Lemúria, transferindo-se posteriormente para a Atlântida, com as dinastias divinas, enquanto os grandes cataclismos que mudavam a face geológica do planeta iam se sucedendo.
A Umbanda surgiu originalmente como um movimento hermético e fechado nos Templos da Luz, nas academias iniciáticas, em civilizações de grande evolucão, e teve sua função maior revelada quando precisou se transformar num culto gerido por magos brancos para combater o então emergente movimento de magia negra que se espalhava. 
Aparecem nessa época os egos chamados de Senhores da Face Tenebrosa, os magos negros, espíritos dominadores, numa história ancestral e anterior às civilizações de nossos planeta. A Cidade das Portas de Ouro da Atlântida se torna o centro da magia negra.
Ao mesmo tempo, nos Templos da Luz, dois tipos de entidades se manifestavam no antigo culto que tinha como base a AUMPRAM: os Encantados, ou Kama Rajás (não reencarnantes na Terra) e os Nyrmanakayas (espíritos terrícolas já libertos do carma terreno). Se apresentavam nos rituais como instrutores, puros e magos, da mesma forma que hoje, guias e protetores, se apresentam como caboclos, crianças e pretos velhos.
É traçado o primeiro Triângulo Fluídico no astral, sobre os céus da Atlântida e se inicia então a AUMBANDHÃ, que no idioma sagrado dos deuses, o devanagari, quer dizer: a Luz Divina. Isso tudo se passa há mais de 700.000 anos.
Com o decorrer de milhares de anos, sua trajetória e seu entendimento ficou velado através dos tempos e da história, assim como um dia também foi velada a palavra sagrada.
Ressurgido no astral por ordem dos maiorais sidéreos, o Projeto Terras do Sul inicia, em terras americanas, o resgate do antigo culto, quando então, novamente, o Triângulo Fluídico é traçado sob os céus do Brasil***.
Centenas de entidades, de diferentes cadeias de evolução, que desde o princípio, trabalharam arduamente no desenvolvimento da raça humana no planeta, se engajam espontaneamente no projeto, alijando-se novamente de desfrutar dos paraísos cósmicos de seus planetas de origem, apenas por amor ao homem da Terra.
No final do século XIX a antiga Aumdandhã renasce finalmente em solo brasileiro e por sucessivas corruptelas leva o nome de UMBANDA - a Luz Divina.
Um espírito venusiano de nome Thamathaê ( pupilo do sagrado Sanat Kumara, primeiro venusiano  que veio para o antigo continente de Mu em tempos imemoriais, o senhor do mundo, que ainda hoje vela pelo planeta com o coração amoroso de Pai) é designado para trazer o comunicado aos homens, se apresentando então pela primeira vez, no início do século XX, através da mecânica da incorporação.
E o mundo da Umbanda Sagrada conhece então seu fundador, que se apresenta humildemente como o Caboclo das 7 Encruzilhadas, numa alusão à herança xamânica (indígena) de nosso povo e aos sete planos da manifestação, para criar um corpo de ilusão que fosse facilmente compreendido e aceito.
Quantos mistérios estavam perdidos ou ocultos na cultura umbandista, em função de sua história milenar, e de sua proposta primeira em fazer um maior número de adeptos num menor tempo possível, possibilitando que o culto se alastrasse entre os humildes, pois deles não se exigia maiores estudos ou entendimento, além do trabalho contínuo na caridade e no amor desinteressado.
É mais que tempo dos homens, agora na Terra, filhos das estrelas que todos somos, voltarem seus olhos para essa história divina de nosso planeta, repleta de sacrifícios dessas entidades maravilhosas, de uma evolução espiritual inimaginável aos nossos escassos cinco sentidos.
Voltarem seus olhos e, além de tentarem entender o que realmente se passa nesse mundo invisível, nos meandros dessa magia cósmica na qual estamos todos inseridos, também tentarem imitar esses exemplos de bondade infinita, no limiar dessas novas sub raças mais espiritualizadas que surgem sob o solo de nosso magnífico planeta azul, até que esses seres das estrelas possam voltar a nos guiar numa nova civilização.
E se um dia Thamathâe veio em nosso auxílio, para lembrar aos homens a antiga Aumbandhã, é agora chegada a hora daqueles que tem compromisso cármico ativo com a magia, os umbandistas, estudarem, mudarem o paradigma da umbanda passiva, compreenderem as verdades ocultas e se tornarem agentes do entendimento universal, pois a nova missão do Caboclo das 7 Encruzilhadas é trazer, num tempo futuro, todas as pessoas para um culto único e amorável, sem rótulos, como deveria ter sido desde o princípio.
E em nome do mesmo amor, esses mistérios começam a ser resgatados em obras como "Umbanda, essa Desconhecida" e outras do mesmo autor, que dedicou meio século de sua existência ano estudo e à pesquisa dos segredos ocultos da Umbanda, através da Umbanda esotérica, com a assistência das mesmas entidades que auxiliaram o desenvolvimento do planeta e que, um dia, anunciaram o resgate do antigo culto atlante em terras brasileiras.


 "Umbanda, essa Desconhecida" - de Roger Feraudy     
http://www.aumpram.org.br/

Que o Amor a Verdade e a Justiça da Umbanda possam enternecer no coração de todos!

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

25 anos, nesta sexta festa da Rainha

   Nesta sexta festa da Rainha e do Exu Tiriri
  25 anos!!!!
 
- Exú - agente mágico de Deus

Origem do nome:

A palavra "exu" vem da palavra sânscrita "exud", que significa "povo banido".


Sua origem cósmica é desconhecida. Não é uma entidade reencarnante no planeta. Trata-se de um ser cósmico e não de um espírito. Era identificado pelos magos brancos nos antigos Templos da Luz da Atlântida, na ancestral Aumpram, como figuras geométricas que serviam como veículos para a transmutação da magia. Existem sim entidades não reencarnantes no planeta, espíritos, oriundos de outros corpos celestes, como por exemplo Kalami, de Vênus,  que é a entidade que comanda os agentes mágicos.

Características:

Os agentes mágicos são seres sem forma física, já que não são humanos. São fluídos universais e, portanto, não se apresentam com formas de eventuais entidades ou espíritos, como por exemplo, malandros ou mulheres de vida fácil, entre outros. E, desta maneira, e pelos motivos apresentados, não se identificam através de roupas extravagantes como ternos, vestidos luxuosos ou vulgares, etc. A comunicação dos chamados exus verdadeiros não se dá pela incorporação. Agentes mágicos não dão consultas. Só se apresentam quando evocados por um guia manifestado num médium e em ocasiões especiais que demandam um trabalho específico, como limpeza dos médiuns ou auxílio num trabalho de magia que já está sendo realizado pelos guias. 

Os exus são seres a serviço de entidades com o grau hierárquico de guia, que trabalham única e exclusivamente na transmutação da magia para o bem e por essa razão são chamados de agentes mágicos. É erro imperdoável associar um agente mágico com o mal. A confusão se deu em função de terem sido os etíopes que levaram a cultura atlante para a África continental, onde se micegenou com as pagelanças tribais e chegou ao Brasil já misturada com outros rituais, como por exemplo, o candomblé.

Encontramos 1 Exu Guardião  para cada linha e com nomes
 diferentes - total de 7.

Comunicação rara e apenas mente a mente para médiuns  altamente selecionados.
São exus verdadeiros e só trabalham para o bem.
 
Para cada Exu Guardião encontramos 6 Exus Chefes de Legião  com outros nomes - total de 42. Comunicação também apenas mente  a mente para médiuns altamente selecionados. São exus verdadeiros e só
 trabalham para o bem.
 
Para cada Exu Chefe de Legião encontramos 6 Exus Batizados
 com outros nomes - total de 252. Comunicação através da irradiação (não existem mais incorporações) São exus verdadeiros e só
 trabalham para o bem.
Para cada Exu Batizado encontramos infinitos Exus Pagãos
 com nomes diversos. Comunicação pela irradiação.
Trabalham tanto para o bem como para o mal, pois são espíritos de homens comuns.
 

Exu pagão  ou auxiliar Para cada Exu Pagão encontramos
um número desconhecido de compadres e comadres com nomes estranhos.
Comunicação pela irradiação.
São artificiais e usados para trabalhar para o bem ou, mais frequentemente, para o mal.
 

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

mês de Agosto- dedicado a Obaluaye-






 

Mês dedicado a Obaluayê - Omulu



O mês de agosto é muito importante tanto para católicos, quanto para os afro-umbandistas. É o mês dedicado a São Lázaro e São Roque ou Obaluayê e Omolu ou Xapanã no sincretismo religioso. A Gruta de São Lázaro em Salvador é um símbolo para as religiões de matriz africana e foi descoberta ainda no período da escravidão, e é usada desde então, pela população crente, para curar doenças. Lá os fiéis se lavam e através da fé, curam suas enfermidades.
 Os orixás   e Omolu são  reverenciados dia 16 de agosto,  esta data é dedicada aos santos católicos, e também aos orixás.
Durante todo o ano a Gruta é utilizada para rituais de cura, de agradecimento e de pedidos a Obaluayê , omulu e Oya( Tempo), os três orixás de palha, como costumam ser chamados. Próximo ao local foi construído um pequeno barracão para as celebrações, comandado pelo babalorixá Ari de Oxalá, que é também guardião da Gruta.
A Gruta de São Lázaro está localizada no bairro de Ondina, atrás do Othon Palace Hotel.

 

   pipoca de Obaluaê



O mês de agosto na Umbanda é dedicado a Obaluayê, os terreiros enchem de pipoca e saúdam este grande Orixá da Cura.
 saiba um pouco sobre esta divindade: 
Obaluayê é uma flexão dos termos: Oba (rei) – Oluwô (senhor) – Ayiê (terra), ou seja, “Rei, senhor da Terra”. Omulu também é uma flexão dos termos: Omo (filho) – Oluwô (senhor), que quer dizer “ Filho e Senhor”. Obaluayê , o mais moço, é o guerreiro, caçador, lutador. Xapanã, astuto, adulto, curandeiro,  Omulu o mais velho, é o sábio, o feiticeiro, guardião. Porém,todos têm a mesma regência  e influência. No cotidiano significam a mesma coisa, têm a mesma ligação e são considerados  a mesa força da natureza.

Obaluayê (ou Omulu) é o Sol, a quentura e o calor do astro rei. É o Senhor das pestes, das moléstias contagiosas, ou não. É o rei da Terra, do interior da Terra, e é o Orixá que cobre o rosto com o Filá (de palha – da - Costa), porque para os humanos é proibido ver seu rosto, pela deformação feita pela doença, e pelo respeito que devemos a este poderosíssimo Orixá ou como cremos ...porque sua luz é tão forte e poderosa que nossos olhos humanos não suportariam tanta luz. Obaluayê está no organismo, no funcionamento do organismo. Na dor que sentimos pelo mal funcionamento dos órgãos, ou por uma queda, corte ou queimadura.

Obaluayê rege a saúde, os órgãos e o funcionamento destes. A ele devemos nossa saúde e é comum, nas Casas de Santos, se realizar os Eboris de Saúde, que fazem pra trazer saúde para o corpo doente.
O órgão central da regência de Obaluayê é a bexiga, mas está ligado a todos os outros. Ele trata do interior, fundamentalmente, mas cuida também da pele e de suas moléstias.
Divide com Iansã a regência dos cemitérios, pois ele é o Orixá que vem como emissário de Oxalá (princípio ativo da morte), para buscar o espírito desencarnado. É Obaluayê (ou Omulu) que vai mostrar o caminho, servir de guia para aquela alma.
O Obaluayê também é (junto com Nanãn) o Senhor da Terra e das camadas de seu interior, para onde vamos todos nós. Daí a ligação que tem com os mortos, pois ele é quem vai cuidar do corpo sem vida, e guiar o espírito que deixou aquele corpo.
O sol também tem a sua regência. Ele também é o Calor provocado pelo sol quente. Há quem diga que não se deve sair à rua quando o Sol está quente sem a proteção de um patuá, a fim de não correr o riscos e não sofrer a ira  de Obaluayê ( alguns escrecem,Obaluaê), geralmente fatal.
Obaluayê está presente em nosso dia-a-dia, quando sentimos dores, agonia, aflição, ansiedade. Está presente nos hospitais, casa de saúde, ambulatórios, postos de saúde, clínicas, sempre próximo aos leitos. Rege os mutilados, aleijados, enfermos. Ele proporciona a doença mas, principalmente, a cura, a saúde. É o Orixá da misericórdia.
Obaluayê é à força da Natureza que rege o incômodo de um modo geral. Rege o mal estar, o enjôo, o mal humor, a intranqüilidade. É o Orixá do abafamento e está presente nele, bem como na má digestão e na congestão estomacal. Gera o ácido úrico e seus efeitos.
Obaluayê está presente em todas as enfermidades e sua invocação, nessas horas, pode significar a cura, a recuperação da saúde.
Dia: segunda feira
Data: 13 ou 16 de agosto;
Metal: chumbo;
Cor: preto e branco  e ou preto, branco e vermelho;
Partes do corpo: a pele, a bexiga e os pulmões;
Arquétipo: sóbrios, reservados, generosidade destacada,  geniosos, independentes, teimosos, tendência ao masoquismo.
Símbolos: xaxará ou íleo (com que limpa as doenças e os males espirituais)

terça-feira, 5 de agosto de 2014

PROJETOS RAIOS DE LUZ

O grupo de Umbanda Esotérica Raios de Luz trabalha há 14 anos na prática da caridade, oferecendo atendimentos através de orientação espiritual, a fim de ajudar a todos aqueles que buscam acalanto.
Os atendimentos ao público ocorrem de forma gratuita, sendo oferecido, inclusive, atendimento fraterno, terapia floral, reiki, além de outas técnicas de curas alternativas, sempre com o objetivo de propiciar amparo e assistência a nossos irmãos.
Sendo o Raio de Luz uma instituição filantrópica, esta missão de caridade não poderia ser realizada sem a sua colaboração, e, por isso, apresentamos o PROJETO TIJOLINHO, que tem por objetivo gravar a sua colaboração nas bases de nosso Novo Templo.
O novo espaço do Raio de Luz será amplo, climatizado, com uma estrutura destinada integralmente à realização de trabalhos caritativos e assistenciais.
Para que este sonho se torne realidade, estamos aceitando doações de material de construção. Você também pode se inscrever no projeto DE MÃOS DADAS, auxiliando-nos com a mão-de-obra necessária à construção do espaço. 
Seja mais um amigo em nossa construção e tenha seu nome gravado nos tijolos que sustentarão este espaço de conexão com a sua luz!

Nesta corrente de união, aproveitamos para convidar a todos para a FEIJOADA BENEFICENTE DO RAIO DE LUZ, que ocorrerá neste sábado, dia 9 de agosto, às 20hs. 
Ingresso Casal R$ 50,00
Ingresso Individual R$ 30,00

Todo o dinheiro arrecadado com o evento será destinado à construção do Novo Templo
Telefone para contato: 51- 3516.9771

Família Raios de Luz

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

RETORNOU AO MUNDO ESPIRITUAL

Ontem, dia 2 de agosto, retornou ao mundo espiritual nosso irmão SIDNEI CARVALHO, de SP, ex-presidente da AFRAM.

Grande divulgador da obra de Ramatis, parte deixando-nos um grande exemplo.

Sidnei Soares de Carvalho foi  advogado e médium psicógrafo e psicofônico. Nasceu na cidade de São Paulo. Éra  casado teve 4 filhos. Desde o início de sua iniciação espiritual, nesta atual encarnação, esteve fortemente ligado à obra do Amigo e Irmão Ramatís, bem como ao labor de Allan Kardec e de vários espíritos que iluminam os seres humanos neste momento decisivo que vive a humanidade.
  trabalhava para o  despertar  do Universalismoem prol da “Unificação no Amor”, ou seja, de união dos diversos segmentos religiosos, filosóficos e científicos em torno do Amor. 



Que o Pai Maior lhe dê a paz e ilumine seus caminhos pela eternidade.